sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Todas as coisas ou Todas estas coisas?


A tradução da Bíblia para o vernáculo, estimulada por Martinho Lutero no século XVI, trouxe inúmeros benefícios. Igualmente verdadeiro é o fato de que alguns malefícios decorrem do livre acesso à Bíblia. Um deles é a múltipla possibilidade de interpretações das passagens contidas nesse santo livro.

No ano de 2008, um pastor foi corrigido em rede nacional por um repórter, depois de tentar explicar a razão pela qual estimulava a relação extraconjugal em sua comunidade. Supondo ter um aval das Escrituras, aquele líder leu o versículo que, segundo ele, servia como base para tal atitude. O problema foi que ele substituiu o adjetivo “adúltera” pelo verbo “adultera”.

Por conveniência ou não, fato é que muita heresia surge daí. Como já foi dito, “a Bíblia é a mãe das heresias”. Dela vêm as mais belas verdades da vida. Não obstante, dela vêm deturpações que prejudicam a vivência da genuína fé cristã nesse mundo.

Uma das passagens mais “abusadas”, em minha opinião, é o discurso de Jesus contra a ansiedade, no Sermão da Montanha. Advertindo cristãos que viviam como pagãos – por se esquecerem de que Deus cuida de todas as coisas – Jesus encerra sua advertência, conclamando-os a buscarem em primeiro lugar o reino de Deus.

A explicação da conclamação do Mestre é o ponto nevrálgico do problema. Inicie o verso citado – buscai primeiro o reino de Deus - em uma conversa com um cristão, peça-o para concluir e você verá que provavelmente ele dirá: “e todas as coisas vos serão acrescentadas” ou “e todas as demais coisas vos serão acrescentadas”.

Esse é um prato cheio para os que têm fome! Todas as coisas sendo acrescentadas! Basta que eu busque o reino de Deus e Ele haverá de me acrescentar todas as coisas! Pense nisso. Sua imaginação é o limite. Pode ir de um simples copo de água a um jato particular! Com o advento da teologia da prosperidade, então, as coisas ficam ainda mais extravagantes.

Esquecem-se, o que fazem essa leitura do versículo, que o discurso de Jesus não foi “todas as coisas vos serão acrescentadas”, mas “todas ESTAS coisas vos serão acrescentadas”. Isso faz diferença. E como faz! Ao discursar da forma que fez, Jesus atrela sua promessa aos itens mencionados anteriormente na conversa: comida, bebida, vestimenta. Ou seja, elementos necessários para a vida!

Ler este texto da forma correta me faz lembrar que o compromisso que Deus tem comigo está relacionado ao suprimento de minhas necessidades, e não de meus caprichos. Ele não tem compromisso com nenhuma de minhas extravagâncias – ainda que possa realizá-las, caso seja sua vontade. Seu compromisso é com minhas necessidades. O que é necessário nunca faltará!

A Bíblia não nos proíbe de sonhar. Na verdade, o sonho é uma bênção! Não custa nada, como diz a canção, e ainda nos encoraja. Contudo, Deus não é obrigado a realizar nossos sonhos, tão somente porque são legítimos. Ele se comprometeu a fazer valer Sua palavra. E ela diz: “todas ESTAS coisas vos serão acrescentadas”. Davi já disse: O justo não é desamparado e sua descendência não mendigará o pão. Porque Deus, em Cristo, firmou uma aliança conosco, e garantiu que nossas necessidades haveriam de ser supridas. A mim e a você cabe buscar o reino de Deus antes de todas as coisas!

3 comentários:

Marina disse...

Dani, só testando pra mamãe aprender!
bjs,
Marina

ricHardaum disse...

Graça e paz, amado.
Agradeço à Deus pela sua vida. E espero que Ele continue a encorajá-lo a elucidar trechos mal-interpretados comumente, como este.
Deus continue te abençoando cada vez mais, e aguardo seu próximo post.

Abraços

Daniel Guanaes disse...

ricHardaum,
Deus abençoe. Acompanhe sempre e comente tb.
Fique com Deus.
Um grande abraço
Daniel