quarta-feira, 20 de maio de 2009

Sobre Cristo (2)


E pensar que fizeram dele um galã de TV. Retrataram-no com o estereótipo da beleza ocidental. Seus cabelos claros, traços finos e olhos azuis não combinam, definitivamente, com o modelo Palestino. Ainda que o conceito de beleza seja um tanto quanto relativo, suas representações também não combinam com a realidade.

Mas é curioso notar como isso diz tanta coisa acerca do Cristo que queremos. Queremos um Cristo que nos agrade. Um Cristo que, a começar pela beleza, esteja dentro dos nossos padrões. Começamos a construí-lo pela estética. Ele sempre foi um europeu nas nossas mentes, mesmo sabendo que ele nasceu em Belém da Judéia. Agora, passamos para o caráter. E, mais uma vez, estamos construindo um Cristo do jeito que desejamos. Próspero, rico, preocupado apenas com os seus e ávido para pisar na cabeça dos inimigos a fim de dominar o mundo.

Isso é triste. Porque o Cristo da Bíblia é tão bonito. Foi o feio mais bonito da história. E até hoje tem gente querendo ser como ele. Não pelos seus traços, já que Isaías disse que ele não tinha nenhuma beleza ou formosura. Simplesmente porque ele mostrou que a beleza do homem vem de um coração limpo e um caráter reto, ferramentas elementares para a verdadeira transformação do mundo, tal qual ele mesmo fez. É... Bonito demais aquele feio!

3 comentários:

Fabio disse...

O feio fez a coisa mais bela do mundo!
Muito bom o texto mano!

Anônimo disse...

:)
Marina

Teka Cristo disse...

Perfeito!