quarta-feira, 8 de julho de 2009

Sobre a intransigência



Impressiona-me a crescente intransigência dos evangélicos no Brasil. A cada dia entristeço-me por ver como estamos nos transformando - ou já nos transformamos - em um povo que não sabe dialogar. Invocamos o inferno para aqueles que são de outras confissões religiosas; acusamos de hereges os cristãos que pensam diferente. Não sabemos conversar.
Cômica - não fosse trágica - a facilidade com a qual confundimos evangelismo com proselitismo. Achamos que evangelizar é convencer as pessoas de que a nossa religião é melhor do que a delas. Por isso, não retrocedemos e ultrapassamos qualquer limite, enquanto não virmos cada uma delas migrando pras nossas comunidades.
Fico a pensar se o mundo não seria diferente, caso dialogássemos mais. Será que não seríamos mais respeitados? Será que não aprenderíamos mais sobre a importância de respeitar?
Tento me lembrar, e mesmo com muito esforço não consigo trazer à memória nenhum episódio de Jesus agindo com tamanha prepotência. Recordo-me dos fariseus; mas não de Jesus.
Isso deveria nos fazer pensar. Eu sei que esse não é, lamentável e vergonhosamente, o nosso forte. Mesmo assim, se deslocássemos a força da nossa intransigência para o exercício de nosso intelecto, descobriríamos que agradaríamos muito mais a Cristo - o grande mestre na arte de respeitar.

4 comentários:

Anônimo disse...

Dani, esse post devia ficar aqui do lado, como se fosse um "para refletir" permanente!
Excelente e pertinente!
bjs,
Marina

Anônimo disse...

D,MQFA: endosso o comentário de sua
irmã e, acolhendo a sugestão, vou emoldurar o texto para oportunas
releitura, reflexão e ação em nosso
dia-a-dia. Obrigado por tão valiosa
opinião. Seu pai, Valmy.

Rapha disse...

Dani, muito bom o seu blog ! Está de parabéns. Infelizmente, hoje não vou poder ir a igreja, mas desejo por aqui mesmo uma ótima viajem e que Deus continue abençoando vocês nessa nova etapa da sua vida. Mandem notícias. beijos Rapha :)

Daniel Guanaes disse...

Marina, que bom que gostou. Pode ser que eu faça isso mesmo! Valeu :)

Pai, emoldurar o texto? Super pai mesmo, hein! rs

Rapha, pode deixar que mandaremos notícias! Beijos