quarta-feira, 22 de julho de 2009

Sobre o perdão

Penso ser este um dos maiores mistérios de Deus. Sua capacidade de perdoar excede meu entendimento. Sim, pois uma coisa é perdoar por obrigação - como, quando crianças, costumávamos fazer com nossos irmãos - forçados por nossos pais - depois de uma briga qualquer. Outra coisa, bem diferente, é espontaneamente nos dirigirmos a um ofensor e apresentarmo-nos para a reconstrução de nossa história, mesmo depois de recebida a ofensa.
Descobri que o único que fez isso espontaneamente foi o Criador. Não que nós sejamos forçados a perdoar. É que tudo o que sabemos e praticamos acerca do perdão é fruto do aprendizado daquilo que Ele sabe e pratica de forma inata.
Tenho aprendido a ter prazer em perdoar. E o simples fato de saber que tenho aprendido me faz reconhecer que essa atividade não me é natural. Reconhço, nesse aprendizado, a origem divina do perdão. Por isso, o valorizo; por saber que cada vez que o pratico, vivencio um pouco desse maravilhoso mistério de Deus.

Um comentário:

Anônimo disse...

D,MQFA: É isso, aí! Seu texto ajuda-nos a manter em nossas mentes
a incontestável verdade:Ele é nosso
Mestre Inato. Eternos aprendizes, ao darmos ou recebermos perdão, co-
nhecemos, além do prazer, imensa alegria no coração. Logo, obrigado
ao Deus Trino. Bela reflexão.
Valmy, com alegria e satisfação
paternas.