domingo, 27 de dezembro de 2009

Gosto do Deus que se silencia

Nunca consegui entender muito bem o Deus sistemático que alguns apresentam. Aprendo muito com a sistematização da teologia, não posso negar. Contudo, não me apetece o estilo cristão de ser que propõe respostas para todas as questões. Há quem tenha soluções prontas para perguntas que nem ao menos foram feitas!
Gosto do Deus que se silencia - ainda que não seja muito chegado ao silêncio de Deus. Ele me faz ver que meu conhecimento dos fatos não é necessário para que as coisas continuem a acontecem. O Deus que se silencia me indigna com sua aparente ausência, ao mesmo tempo que me enche de esperança com a possibilidade de uma nova presença. Ele me mostra que, mesmo não vendo, a vida segue. O Deus que se silencia me ensina que barganha, com ele, não funciona. E que em seu mundo favores não são conquistados em troca de consagrações.
Quero, para 2010, o mesmo Deus que às vezes trabalha em silêncio; ainda que espere, de todo coração, não ter que conviver com o silêncio de Deus.

3 comentários:

Anônimo disse...

maravilhoso!!!

bjs,
Marina

Anônimo disse...

Muito bom, Daniel. Também não gosto
do estilo cristão citado: além de presunção em respostas a tudo, ainda o praticam repreendendo-nos por pensarmos de modo diferente.
À semelhança de alguém muito querido - try to guess who? - só posso dizer "maravilha!" Valmy.

Anônimo disse...

E no silencio Deus trabalha,opera e faz milagres.bela refelexao!bjs sdos! Lucia