quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

A dor pelo Haiti


A dor pelo Haiti é a dor por um mundo que ainda se compadece; por um mundo que, marcado pelo individualismo, resgata - em momentos como este - o senso de coletividade.
É a dor de ver os pobres sendo afetados por tragédias naturais - que apesar de não escolherem classes sociais, parecem afetar majoritariamente os menos favorecidos.
É a dor de ver tudo ser tirado daqueles que nada tinham; ou de contemplar as lágrimas dos que, hoje em foco, serão esquecidos pelos holofotes do mundo talvez em um mês.
Dói no coração ver tanta gente sentido dores na pele e na alma; dores que, na verdade, aumentarão à medida que a adrenalina e o choque da tragédia passarem.
Dói saber que as ajudas humanitárias - por mais nobres que sejam - não trarão aos que sofrem a companhia dos que, vivos ou mortos, tiveram seus sepulcros lacrados por imensas placas de concreto.
Nessas horas vemos como fomos criados para sermos um. E aprendemos a chorar com os que choram por uma dor cuja dimensão não alcançamos.
Dói. Porque como dizia Caetano, o Haiti que não é aqui, na verdade é aqui.

3 comentários:

André Esteves disse...

De fato caro Daniel, as cenas chocam e o coração aperta... tanta dor e sofrimento...

Lucia disse...

Que a potente mao do Senhor toque cada coraçao,de cada cantinho deste mundo, pra que juntos podemos reconstruir este Pais tao castigado e sofrido.Amo, o seu amor por cada vida.bjs Lucia

Rejane disse...

H oje vemos com lentes objetivas
A quilo que já existia e não queriamos ver
I nerte e indolor, era assim que a globalização os mostrava
T udo tremeu, caiu, desmoronou
I nverteu-se a realidade.

Abraços de um coração muito triste com todo o sofrimento do irmão Haitiano.
Rejane