quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

O evangelho do silêncio

Gosto do evangelho que é proclamado em silêncio; acho que ele fala mais alto. O grito dos homens abafa o discurso da natureza. Tão preocupados com suas palavras, não vêem como o azul dos céus proclama a glória de Deus; ou como dia e noite discursam, formando um belo caderno de poesias.
Outro dia vi o sol pregar. Sumindo no horizonte, pintava o céu de vermelho. Parecia falar do Criador. As estrelas, pouco depois, indicavam discursar no mesmo tom. Antento, descobri como minhas palavras ocupam apenas um singelo espaço na proclamação da mensagem divina. Elas tão somente pontuam a voz que se faz ouvir na criação. Importantes eu sei que são; contudo, se desafinadas estragam a harmonia criada pelo maestro. E, não sei como, abafam a mensagem daqueles que pregam sem nunca terem aprendido a falar. Por isso respeito o silêncio. Espero minha vez de falar. Vai que eu estrago o sermão bem na hora do apelo...

2 comentários:

Ju Gigante disse...

Pois é... como se tem falado por aí, chega de cursos de oratória, precisamos mais de "escutatória"! rs.
Paz***

Anônimo disse...

Dani, v. é o poeta de Deus. Gustavo