domingo, 18 de abril de 2010

Indo além da cruz

Sei que isso tem cheiro de heresia. Afinal de contas, a boa teologia ensina que a cruz é suficiente, e que ir além dela é, na verdade, abraçar outro evangelho.
É evidente que não proponho o abandono da cruz de Cristo; tampouco sugiro que sejam colocados ao seu lado outros elementos cuja missão seja completar a mensagem do Calvário. Aprendi com John Stott a centralidade da cruz de Cristo. Reconheço e divulgo sua unicidade. Nada se compara a ela; não há a menor necessidade de colocar nada ao seu lado. Na verdade, fazer isso é desconsiderá-la por completo.
Minha proposta de ir além da cruz, no entanto, parece cada vez mais urgente. Refiro-me à necessidade de falarmos mais do que "Jesus morreu na cruz pra perdoar os seus pecados". Realmente este discurso é fascinante. A melhor mensagem que alguém pode receber! Mesmo assim, ao final da proclamação destas boas novas, fica a pergunta: E...
Qual a aplicabilidade desta mensagem? E seus desdobramentos e implicações? O que significa isso no dia a dia?
Acho que a mensagem do evangelho é empobrecida porque não vamos além da cruz. Paramos na frase que mencionei acima, e achamos que isso é tudo o que as pessoas precisam saber. Repito; esta é a maior notícia da história! Contudo, ela não pode estar desconectada; solta no universo. É preciso ter os "por isso..."; "portanto..."; "logo..." que decorrem desta grande mensagem.
Deleito-me cada vez que ouço sobre a morte de meu salvador na cruz. Mas entristeço-me, confesso, quando vejo a dificuldade de muitos em ir além desta mensagem. Há muito mais a ser dito. Não ao lado da cruz, mas em decorrência dela. Ir além da cruz, nesse sentido, é uma necessidade.

2 comentários:

Anônimo disse...

maravilhoso

Anônimo disse...

Oi, Pastor. Há algum tempo não apareço por aqui.

Texto claro, objetivo e profundo. Fez muito bem ao meu coração.

Que Deus nos ajude a termos visão espiritual, que é prilégio de poucos, evitando assim que fiquemos no vácuo do "e...".

Que o próprio Deus, a cada dia, acrescente a Sua sabedoria em nós possibilitando-nos assim completar, de maneira coerente, a mensagem da cruz.

Um forte e saudoso abraço,
Rejane