segunda-feira, 5 de julho de 2010

Um Evangelho com a Nossa Cara

Conhecemos o evangelho protestante pelo trabalho dos americanos. Estes, por sua vez, foram apresentados ao cristianismo da Reforma pelos missionários do velho continente. Desde sempre, aprendemos a ser cristãos como eram os anglo-saxões, mesmo nunca tendo sido um deles.

Não se pode desconsiderar os muitos benefícios que desfrutamos por conta do árduo trabalho daqueles homens e mulheres que abandonaram tudo o que tinham para apresentar aos nossos pais o evangelho da graça. O esforço por eles desprendido é louvável e digno de ser recontado na história.

Uma questão, entretanto, precisa ser repensada pelos que vivem a graça de Deus em terra brasilis. Somos tupiniquins; e por mais que tenhamos recebido a mensagem da graça de Cristo por meio de europeus e norte-americanos, precisamos construir nossa espiritualidade com as ferramentas que temos em nossa terra.

Nosso contexto é outro. Nossas lutas não são as deles. Nossos anseios se cruzam em alguns pontos, mas se afastam em muitos outros. Nossa bandeira tem outra cor, e nosso povo fala outra língua. Nossa identidade não é importada, e nossa cultura é rica o suficiente para desenhar, em nossa terra, um cristianismo autenticamente latino-americano.

Vivo em prol de um evangelho tupiniquim. A mensagem continua a mesma, evidentemente. Mas a forma pela qual a colocamos em prática precisa ser nova; e precisa ser nossa. Acredito em nossa gente; e sei que podemos viver o evangelho de Cristo de forma bem brasileira - um evangelho com a nossa cara.

2 comentários:

Anônimo disse...

Acho que o ano que passou fez você ver as coisas com um novo olhar, né? Ótima visão!
bjbj
Marina

Rodrigo disse...

Gostei amigo!
Isso aí... precisamos urgentemente de uma espiritualidade com cheiro de terra molhada e canto de sabiá. Um abraço!