sábado, 9 de outubro de 2010

Sobre a providência

Ele cria que tudo daria certo. Cria porque os livros haviam dito a ele que com Deus as coisas eram assim. As circunstâncias não lhe pareciam favoráveis. Explicar o por quê ele não sabia. Tratava-se de intuição. Mas como a vida não podia parar, ele esperou para ver o que haveria de acontecer.
Tudo deu certo. Mas será que foi como deveria? Será que o desfecho daquela história foi fruto de algum destino traçado ou obra do acaso?
Ele pensou; e viu que - a menos que o acaso fosse muito organizado - aquilo não poderia ser feito sem que alguém o tivesse planejado. Viu que o mundo não existe apenas por causa de um criador; ele também existe porque há um mantenedor. Alguém que faz com que tudo aconteça perfeitamente como deve acontecer.
Ele passou, então, a crer diferente. Antes, cria porque os livros haviam dito a ele que com Deus as coisas eram assim. Agora, porque viu Deus lhe ensinar com a vida. E quando a escola na qual se ensina é a da vida, as lições dos livros fazem muito mais sentido.

Nenhum comentário: