segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Diante da morte



Diante da morte...


... fujo dessa espiritualidade heróica, que me obriga a rir quando meu coração pede pra chorar. 

... fujo dessa necessidade besta que alguns vêem de fazer festa na casa do pranto.
 
... fujo da ingenuidade de achar que - por ter certeza de que, pela vitória de Cristo, vencerei a morte - estou imune à dor que ela me traz todas as vezes que se aproxima de mim.

... fujo da tentativa de considerá-la normal, por saber que mais cedo ou mais tarde ela chegará. Ela é, por essência, disfuncional.

... fujo da crueldade de encará-la como juízo divino só porque aconteceu a alguém que vivia com valores diferentes dos meus.

... fujo do determinismo como resposta para as demandas de explicação.

... fujo da tentativa de defender um Deus que não precisa de advogado.

... fujo dela.

... fujo de mim.

... fujo pra cruz.





Nenhum comentário: