quarta-feira, 19 de junho de 2013

Sou Pastor

Poucas palavras são tão vexatórias nos dias de hoje como o termo 'pastor'. O constrangimento ao qual muitas vezes são submetidos aqueles que trilham com temor essa jornada não é incomum diante do cenário atual. Há momentos nos quais, pela inescrupulosidade de uns, dá vontade de esconder a identidade como um agente secreto.

Outros momentos, contudo, fazem-me agradecer a Deus pela honra da vocação. A glória do sofrimento é um privilégio que talvez só quem foi chamado para cuidar do rebanho de Cristo entenda. Deixar que as feridas dos outros também dilacerem sua alma não é ônus, mas bônus da caminhada pastoral. Não porque haja na vocação um prazer pelas chagas, mas porque nela se descobre que o desconforto da dor, maior que seja, não chega perto da imensa satisfação que a solidariedade pastoral é capaz de proporcionar.

Hoje choro a perda de uma ovelha. Porque perder uma ovelha é como perder um pedaço de si. Conforta-me saber que a perdi para o Sumo Pastor, o Cristo que quando voltar enxugará dos olhos toda lágrima. Enquanto isso, quero continuar a caminhar ao lado de quem Deus me der a graça de pastorear - verbo do qual jamais espero ter de me envergonhar. Afinal de contas, constranjam-se aqueles que têm razão para tal. Sou pastor, e dou graças ao meu bom Deus por tão nobre vocação.

2 comentários:

Anônimo disse...

Oi Dani,Que o Senhor continue te usando para apoiar e acolher todos aqueles que precisam dele,com seu exemplo lindo de amor ao Senhor e ao proximo.Deus te abençoe!bjs sds!Lucia

Anônimo disse...

Muitas são as razões do orgulho e da admiração que tenho por meus filhos. Uma delas, o conteúdo deste
texto: solidário com quem chora e de gratidão a Deus pela vocação pastoral e pelo exercício desse ministério. Parabéns Daniel. Como pai e ovelha do seu rebanho, suportado por Deus, fico feliz.
Valmy.